naturfilhos - Associação Pensamentos ao Vento

Ir para o conteúdo

Menu principal:

PODEREMOS PRATICAR NATURISMO COM OS NOSSOS FILHOS?

Certos pais desejam continuar a sua atividade naturista em família. Mas poderá essa nudez vir a ter consequências para a criança? A psicóloga Nathalie Soussan dá-nos a sua perspetiva sobre a questão.

Poderemos praticar naturismo com os nossos filhos?
Naturismo é uma escolha de educação e não há contraindicações nisso. No entanto, o melhor é iniciar  as crianças o mais cedo possível, uma vez que a relação com o corpo e o  pudor constroem-se cedo e em função dos parâmetros e limites dos pais.  As crianças podem então andar nuas de forma natural. Será mais  complicado iniciar a prática do naturismo em família mais tarde, por  exemplo, na adolescência. Até essa idade, penso que é um modo de vida  relativamente fácil de implementar com as crianças. Mas, na  adolescência, elas irão afirmar claramente a sua posição: ou desejam  continuar, ou não vão querer continuar a acompanhar os pais.

Esta exposição à nudez, o que acha?
Nos  nossos dias, vemos corpos despidos ou seminus por todo o lado, mas  representam manequins. É uma estética que não está nada de acordo com a  realidade. Que não é facilmente acessível. É importante que as crianças  entendam que esta não é a realidade e que se aceitem tal como são. O  desafio é fazer com que a criança se sinta bem consigo própria. Para o  conseguir, a educação representa muito, mas a resposta do progenitor ao  seu próprio corpo vai também ter um papel bastante importante. Se os  pais se sentem confortáveis com a nudez, naturistas ou não, eles vão  transmiti-lo inconscientemente aos seus filhos. De facto, fazemos  bastantes coisas para que as crianças se sintam bem dentro da sua cabeça  e com as suas emoções, mas também é importante ajudá-los a se sentirem  bem dentro do seu corpo. É um todo. Além disso, é necessário se lembrar  que existe uma diferença entre nudez e sexualidade. É precisamente neste  ponto que por vezes ocorre o erro, ainda que os dois estejam  relacionados.

Isso terá consequências sobre o relacionamento da criança com o seu corpo?
O  relacionamento com o corpo evolui em função da idade. Na nossa  sociedade, temos o hábito de começar a falar da privacidade por volta  dos 3 anos, Mesmo que os pais estejam desconfortáveis com o assunto, é,  de facto, com esta idade que fazemos face à sexualidade infantil e que  indicamos, por exemplo, à criança que vá para o seu quarto se quer  “tocar no seu pirilau”. O seu primeiro contacto com o pudor dá-se nesta  idade, tal como a sua curiosidade e o questionamento em torno da  diferença dos sexos. Se os pais estão à vontade com estas questões, o  assunto torna-se muito menos tabu. O limite entre pudor e vergonha é  ténue. É necessário ajudar a criança a ter orgulho no seu corpo, sempre  com respeito pela sua privacidade.

O pudor é uma noção a incutir?
É  com os pequenos exemplos do quotidiano que os pais vão poder transmitir  a noção de pudor aos seus filhos. É necessário explicar que eles não  podem andar nus em qualquer lugar. Perante uma questão bastante tabu  entre os pais como a masturbação infantil, vamos dizer à criança que o  faça no seu quarto, quando estiver sozinho… É algo que faz de forma  inconsciente e os limites deste pudor dependem da educação. Mas a  criança vai compreender rapidamente que tudo o que está ligado à  sexualidade é do foro privado e, forçosamente, ele terá pudor, mesmo se  tratando de naturistas. As relações entre os progenitores têm lugar na  intimidade, em privado. No entanto, se a questão do corpo, da nudez e da  sexualidade forem tabus, a criança sentirá culpa e vergonha, e a sua  relação com o corpo e a sua sexualidade serão alteradas.

Se pretendemos praticar naturismo com as crianças, é necessário tomar determinadas precauções?
Devemos  escutar a criança. Se sentirmos que há desconforto, não devemos forçar.  Certas crianças falam facilmente por si. “Mãe, não quero que entres na  casa de banho”, por exemplo. Aqui é claro e inequívoco, é necessário  respeitar o seu pudor. Mas na maior parte do tempo, este desconforto é  exprimido de forma pouco clara: um olhar que se afasta ou um desconforto  no momento de se despir… Devemos de nos ajustar ao comportamento da  criança. Não devemos hesitar em lhe colocar a questão de forma simples,  para que ela se sinta livre para exprimir a sua opinião. Quanto mais  falarmos, menor será o tabu. Mas o naturismo não é uma experiência  traumatizante para a criança se o discutirmos com ela, que lhe  expliquemos a sua opção e que se ajuste ao sentimento também. Se uma  criança se sente envergonhada quando na presença de adultos nus, é  necessário respeitar esse mal-estar e talvez se limitar a um naturismo  no seio da família. Como para cada atividade dos seus filhos, é  necessário estar vigilante e supervisionar adequadamente as coisas.  Sendo tudo feito de acordo com a criança, então não haverá problemas com  a prática do naturismo.

Por Julie Caron

Traduzido e adaptado por José Luís Vieira a partir de:
http://www.magicmaman.com/,peut-on-faire-du-naturisme-avec-ses-enfants,3386408.asp
em 16/11/2016
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal